⇒  See the language on the left-hand flag ⇐

Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Translate to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese

ONLINE
2






A SOBERANIA DE DEUS E OS PORQUES SEM RESPOSTAS

A SOBERANIA DE DEUS E OS PORQUÊS SEM RESPOSTAS 

Quando lemos a Bíblia e refletimos nas histórias contidas nela percebemos, claramente, que há muitas perguntas sem respostas para nós aqui. Talvez algumas delas no futuro saberemos, talvez não. Não sei. Mas a ausência de  respostas e a falta de compreensão delas da nossa parte, não deve mudar, em nada, o que pensamos de Deus, no que se refere a sua fidelidade, bondade, graça, amor, benignidade e  misericórdia para conosco, os eleitos.

A Bíblia  menciona em Dt 29.29 que as coisas reveladas são para nós e nossos filhos mas as encobertas pertencem exclusivamente a Deus  “As coisas encobertas pertencem ao Senhor, nosso Deus, porém as reveladas nos pertencem, a nós e a nossos filhos, para sempre, para que cumpramos todas as palavras desta lei”. As coisas que a Bíblia somente narra, mas não explica, essas são as encobertas; e as coisas explicadas são as reveladas, as que podemos entender. Portanto, vamos nos ater nessas mencionadas mas não reveladas. 

 

   1. Por que Deus fez o homem com condições para pecar, sabendo que ele ia pecar?De fato desde a eternidade Deus sabia que o homem cairia quebrando o único mandamento dado ale. O porquê  não entendemos. Muitos procuram explicar esse fato com várias saídas. Eu entendo porem, que, ninguém pode explicar, pertence a Deus somente. 

    2. Por que Deus escolheu Noé para construir a arca?

Quem era Noé?  “Noé ou  Noach (do hebraico נח, "descanso, alívio, conforto" ) é o nome do heroi bíblicoque "recebeu ordens de Deus para a construção de uma arca, para salvar a Criação do Dilúvio". De acordo com o Pentateuco, os cinco primeiros livros do tradicional velho testamento da Bíblia escritos por Moises, Noé era filho de Lameque, que era filho de Matusalém, que era filho de Enoque, que era filho de Jarede, que era filho de Malalel, que era filho de Cainan ou Quenã, que era filho de Enos, que era filho de Sete, que era filho de Adão que era filho de Deus.

Seus três filhos mais conhecidos eram SemCam ou  Jafé.

A mulher de Noé (Gn 6:18; 7:7, 13; 8:16, 18), segundo a tradição judaica não bíblica, é chamada de Noéma ou Naamá (Na'amah - cheia de beleza) uma mulher cananita. Há quem a identifique  como proveniente da descendência de Caim, sendo irmã de Tubalcaim que era filho de Lameque. Por ter sido considerada de menor importância, o seu nome não vem mencionado no Pentateuco ou no Torá, na história de Noé. (Wikipédia)

Noé era bisneto de Enoque, o homem que andou com Deus e depois foi trasladado para não ver a morte. A Bíblia só o menciona depois dos quinhentos anos de idade. Seu avô, Matusalém, foi o homem que mais viveu, segundo Gn 5:25-27, seu pai chamava-se Lameque, aparentemente ligado, de certa forma, a religião, pois deu o seu filho um nome de significado importante. Noé significa “Descanso”  Gn. 5:29.

A Bíblia menciona Noé como um homem justo e integro “Eis a história de Noé. Noé era homem justo e íntegro entre os seus contemporâneos; Noé andava com Deus. Gerou três filhos: Sem, Cam e Jafé”  (Gn 6.9,10). Mas quando olhamos para o v8 “Porém Noé achou graça diante do Senhor” Percebemos que a causa da integridade de Noé e do seu chamamento para construir a arca, foi a soberana graça de Deus e não algum mérito da parte dele. Então aqui temos a nossa pergunta crucial e sem resposta: por que Deus o escolheu ao invés de outro qualquer?  Não sei,  isso é coisa da sua soberania, não revelada a nós. O porquê não sabemos!

    3. Por que Deus escolheu Abraão?

Quem era Abraão? – “Abraão (em hebraico: אברהם, Avraham ou ’Abhrāhām) é um personagem bíblico citado no Livro do Gênesis a partir do qual se desenvolveram três das maiores vertentes religiosas da humanidade: o judaísmo, o cristianismo e o islamismo. Entretanto, arqueologistas não encontraram nenhuma evidência significativa da existência de Abraão.  É o primeiro dos Patriarcas bíblicos e fundador do monoteísmo dos hebreus. Abraão é citado no livro de Gênesis como a nona geração de Sem, o qual foi um dos filhos do patriarca Noé que tinha sobrevivido às águas do dilúvio.

Segundo a Bíblia, a mais provável procedência de Abraão seria a cidade de Ur dos caldeus, situada no sul da Mesopotâmia, onde seus irmãos também teriam nascido. O final do capítulo 11 do primeiro livro da Torah, ao descrever a genealogia do patriarca hebreu, assim informa, mencionando o nome anterior de Abraão: E estas são as gerações de Tera: Terá gerou a Abraão, a Naor e a Harã; e Harã gerou a . E morreu Harã, estando seu pai Terá ainda vivo, na terra de seu nascimento, em Ur dos caldeus.(Gn 11: 27-28)” (Wikipédia)

Por que Deus escolheu Abraão do meio da sua parentela para ser pai de uma nação diferenciada? A principio achamos que Abraão era justo, bom e fiel a Deus por isso foi escolhido. Mas em nenhum lugar das Escrituras é mencionado que Abraão era fiel a Deus antes de ser chamado. Há muita confusão dos pregadores e escritores neste aspecto. Ouvi uma mensagem de um pastor considerado referência no seu estado, como pregador e escritor, e me surpreendi com a colocação dele nesse sentido. Ele disse que Deus antes de tudo, viu em Abraão a sua fidelidade, e que quando ele, Deus, viu Abrão, viu também que podia fazer dele um Abraão. É um absurdo isso, uma vez que Deus escolheu Abraão não pelo que ele viu nele, mas pelo que ele havia de fazer nele. Abraão era tão errado quanto aos outros daquele lugar, como a seu pai que era fabricante de ídolos. Não havia em Abraão nenhum  mérito. Na soberana graça Deus não precisa ver no homem alguma virtude para escolhê-lo; ele escolhe porque pode fazer por meio da sua graça o que quiser independente do homem.  As Escrituras deixam bem claro que tudo aconteceu depois da chamada, depois da escolha: "Disse o SENHOR a Abrão: Sai da tua terra, da tua parentela e da casa de teu pai e vai para a terra que te mostrarei; de ti farei uma grande naçãoe te abençoarei, e te engrandecerei o nomeSê tu uma bênção! Abençoarei os que te abençoarem e amaldiçoarei os que te amaldiçoarem; em ti serão benditas todas as famílias da terra".

No livro de Neemias é mencionado que o coração de Abraão foi achado fiel. Mas se observarmos bem vamos perceber que o seu coração foi achado fiel depois da sua chamada. Veja: “Tu és o Senhor, o Deus que elegeste Abrão, e o tiraste de Ur dos caldeus, e lhe puseste por nome Abraão. Achaste o seu coração fiel perante ti e com ele fizeste aliança, para dares à sua descendência a terra dos cananeus, dos heteus, dos amorreus, dos ferezeus, dos jebuseus e dos girgaseus; e cumpriste as tuas promessas, porquanto és justo”. (Ne 9.7 e 8). Primeiro Deus o elegeu, segundo, ele o separou, terceiro, o seu coração foi achado fiel e quarto, Deus fez aliança com ele. 

Josué fecha esta questão com chave de ouro, veja: “Então, Josué disse a todo o povo: Assim diz o Senhor, Deus de Israel: Dalém do rio, antigamente, habitaram vossos pais, Tera, pai de Abraão e pai de Naor, e serviram a outros deuses. v3 Eu, porém, tomei a Abraão, vosso pai, dalém do rio e o fiz andar por toda a terra de Canaã; também multipliquei a sua semente e dei-lhe Isaque” (Js 24.2,3). 

Não tem como se provar que Deus viu alguma virtude em Abraão que possa justificar o seu chamamento e escolha. Por uma simples lógica podemos entender ao contrário, como nos textos bíblicos; que ele fazia parte do comportamento idólatra da família. Morava em um lugar pagão, não tinha nenhuma instrução a cerca de Deus e suas leis. Podemos concluir, com certeza, que ele não tinha nenhuma qualidade que pudesse atrair a simpatia de Deus, como nós também nunca tivemos. Deus, em sua graça soberana e eletiva, no eterno passado escolheu e elegeu Abraão para ser seu servo e seguidor, e no tempo certo e determinado, quando ainda estava na sua vida idólatra, executou a sua eleição. E a partir dessa execução começou a trabalhar o seu caráter para fazer dele o nosso pai na fé. Abraão, foi como a qualquer um dos eleitos de sempre. Isso aconteceu com Paulo e acontece, sempre, com todos os verdadeiros cristãos de todas as épocas. Qualquer eleito conhecedor da graça soberana de Deus, sabe que é Deus quem elege, escolhe e salva, com base na sua graça, no seu favor totalmente imerecido. Então agora temos aqui também a pergunta crucial e sem resposta:  por que Deus o escolheu ao invés de outro qualquer?  Não sei, isso é coisa da sua soberania, não revelada a nós.  O porquê não sabemos! 

    4. Por que Deus escolheu Jacó e não Esaú?

Pela cultura e costumes da época, quem deveria ser o escolhido era Esaú por ser o primogênito; no entanto, Deus contrariando tudo escolheu Jacó. Ele pode! Ele é Deus! Nenhum deles merecia nada, pois nem nascidos eram. Vejamos que Moisés escreveu em Genesis  25 “São estas as gerações de Isaque, filho de Abraão. Abraão gerou a Isaque; era Isaque de quarenta anos, quando tomou por esposa a Rebeca, filha de Betuel, o arameu de Padã-Arã, e irmã de Labão, o arameu. Isaque orou ao Senhor por sua mulher, porque ela era estéril; e o Senhor lhe ouviu as orações, e Rebeca, sua mulher, concebeu. Os filhos lutavam no ventre dela; então, disse: Se é assim, por que vivo eu? E consultou ao Senhor. Respondeu-lhe o Senhor: Duas nações há no teu ventre, dois povos, nascidos de ti, se dividirão: um povo será mais forte que o outro, e o mais velho servirá ao mais moço. Cumpridos os dias para que desse à luz, eis que se achavam gêmeos no seu ventre. Saiu o primeiro, ruivo, todo revestido de pêlo; por isso, lhe chamaram Esaú. Depois, nasceu o irmão; segurava com a mão o calcanhar de Esaú; por isso, lhe chamaram Jacó. Era Isaque de sessenta anos, quando Rebeca lhos deu à luz.” (19-26). Notamos nesse texto que o primogênito era Esaú. Esaú tinha o direito da primogenitura. Quando lemos desatento o contexto imaginamos que Esaú perdeu o direito da primogenitura por ter a vendido a Jacó, mas não é verdade. Antes deles nascerem Deus já havia predeterminado que a primogenitura seria de Jacó, veja o que Deus disse no texto acima: “e o mais velho servirá ao mais moço”. Jacó foi escolhido unicamente pela determinação graciosa de Deus, não havia nenhum mérito nele. Vejamos que Paulo disse em Rm 9 “Porque a palavra da promessa é esta: Por esse tempo, virei, e Sara terá um filho. E não ela somente, mas também Rebeca, ao conceber de um só, Isaque, nosso pai. E ainda não eram os gêmeos nascidos, nem tinham praticado o bem ou o mal (para que o propósito de Deus, quanto à eleição, prevalecesse, não por obras, mas por aquele que chama), já fora dito a ela: O mais velho será servo do mais moço. Como está escrito: Amei Jacó, porém me aborreci de Esaú” (9-13). Por que Deus amou a Jacó sem que ele tivesse feito nada de bom e aborreceu-se de Esaú sem que nada tivesse feito de ruim? Não sei, quem saberia?!  É coisa da soberania de Deus. 

      5. Por que Deus escolheu José e não um de seus irmãos?

Quando refletimos na história de José, uma linda história, vemos Deus em todos os acontecimentos da sua vida, conduzindo-o dentro do seu propósito e vontade. Ninguém pôde desencaminha-lo do objetivo de Deus. E é assim que acontece com cada um de nós, ninguém, mas ninguém mesmo pode mudar uma vírgula, se quer, no plano de Deus para nossas vidas. Em toda a nossa história nada vai acontecer fora da vontade soberana de Deus. Isso deveria produzir em nós um profundo descaso. Leia os capítulos 37,39-46 de Gênesis  e veja os detalhes de todos os acontecimentos. Vejamos alguns: Ele tinha a simpatia maior de seu pai, “Ora, Israel amava mais a José que a todos os seus filhos, porque era filho da sua velhice; e fez-lhe uma túnica talar de mangas compridas. Vendo, pois, seus irmãos que o pai o amava mais que a todos os outros filhos, odiaram-no e já não lhe podiam falar pacificamente.

 Seus sonhos:Teve José um sonho e o relatou a seus irmãos; por isso, o odiaram ainda mais. Pois lhes disse: Rogo-vos, ouvi este sonho que tive: Atávamos feixes no campo, e eis que o meu feixe se levantou e ficou em pé; e os vossos feixes o rodeavam e se inclinavam perante o meu. Então, lhe disseram seus irmãos: Reinarás, com efeito, sobre nós? E sobre nós dominarás realmente? E com isso tanto mais o odiavam, por causa dos seus sonhos e de suas palavras. Teve ainda outro sonho e o referiu a seus irmãos, dizendo: Sonhei também que o sol, a lua e onze estrelas se inclinavam perante mim. Contando-o a seu pai e a seus irmãos, repreendeu-o o pai e lhe disse: Que sonho é esse que tiveste? Acaso, viremos, eu e tua mãe e teus irmãos, a inclinar-nos perante ti em terra? Seus irmãos lhe tinham ciúmes; o pai, no entanto, considerava o caso consigo mesmo” (Gn 37.3-11) Esses sonhos provam que antes de tudo Deus escolhera José para reinar no Egito e sobre seus irmãos. A principio queriam matá-lo, mas esse não era o plano de Deus, por isso não aconteceu (v20). Rúben o livrou da morte (v21). Então o lançaram em uma cisterna sem água (24). Quando eles o tiraram da cisterna para vendê-lo aos ismaelitas, Rúben não estava presente, porque se tivesse presente ele não teria permitido a venda. Ele era o mais velho. (25-36). José foi vendido exatamente a Potifar que por sua vez tinha uma mulher, que por vontade de Deus assediaria José e por isso seria conduzido a prisão, porque na prisão ele conheceria o copeiro e o padeiro chefes no palácio de Faraó. O cárcere  que Potifar o lançou,  por ser ele oficial da guarda real,  foi também onde os presos do rei Faraó ficavam. Isso aconteceu para que José pudesse interpretar os sonhos do copeiro e do padeiro chefes na casa de Faraó. E mais tarde Faraó também teria um sonho e José por sua vez haveria de interpretá-lo, e assim ele chagaria ao trono. Foi assim que Deus planejou e assim foi. Tudo que aconteceu de bom ou rim estava dentro do propósito de Deus. Até os delitos dos copeiro e do padeiro foram providenciais, e no tempo certo, para que pudessem encontrar José na prisão e ter seus sonhos interpretados. 

O porquê de Deus escolher  José  ao invés  de um de seus irmãos, não sabemos. É coisa da sua soberania. (continua)

 

Pr Aramisio Borges

 


“Eu realmente só amo a Deus, na proporção em que amo a pessoa que menos amo” (Dorothy Day) 

Pr Aramisio Borges 

Natural de Goiânia, Go. Mora em SP desde 1983, servo de Deus a serviço de sua obra, Pastor há mais de 35 anos, teólogo, professor de Teologia e psicólogo; é responsável pela  MCDI - Ministério Cristão de Discipulado e Integração e pelo Instituto Exousia. Procura amar a Deus acima de tudo e ao próximo como a si mesmo, ama a família, a obra de Deus, seus amigos, a vida!  Na medida do possível procura ser amigo de todos e na mesma medida, procura ter paz com todos os homens.  Procurando sempre resolver todas as pendências. Tem procurado estar de bem com Deus, consigo mesmo e com o próximo. Tem um grande interesse pelo bem-estar do ser humano, principalmente no que se refere ao seu relacionamento com o Criador. Não é perfeccionista, mas gosta do melhor possível. Não é dogmático, mas gosta de ter uma posição definida em relação aos temas e doutrinas da Bíblia. Não chegou ainda, aonde quer, mas sebe onde deve chegar e esforça-se para isso. Gosta de se relacionar com o ser humano, procurando sempre o melhor nas pessoas, mesmo que possa se surpreender com pior. Sabe que toda pessoa rotulada como ruim tem um lado positivo e toda considerada boa, tem um, pelo ao menos um, aspecto negativo. Assim é com todos. Considera o conhecimento e o envolvimento com a Soberana Graça de Deus como imprescindível para o cristão e entende que, para viver nessa plena graça precisa, antes de tudo, viver no pleno mover do Espirito Santo. E sem essa Graça ninguém seria salvo, pois foi nessa base da graça que Deus, soberanamente, nos elegeu em Cristo antes da fundação do mundo. 

Devocional Diário

NOSSOS ARTIGOS

01. Conheça Um Pouco Mais Da Graça De Deus

02. Desventurado Homem que sou!

03. Tudo Sobre Nosso Pleno e Perfeito Perdão

04. Aprenda viver bem com Deus e com seus impulsos sexuais

05. O que é a Graça de Deus?

06. O que significa a Graça de Deus?

07. O Evangelho da Graça de Deus

08. O Significado de "Fim da Lei" em Romanos 10.4

09. A Maravilhosa Graça de Deus

10. Em que dia da semana Jesus morreu?

11. Ef 5.18-21

12. Duas formas pelas quais poderíamos ser justificados

13. Definição do Amor

14. Como Você Define o Amor?

15. Coisas Oferecidas em Sacrifícios aos Ídolos

16. Cinco Votos para Obter Poder Espiritual

17. Cientista prova a Existência de Deus

18. O Batismo e Plenitude do Espírito Santo - Parte  01

19. O Batismo e a Plenitude do Espírito santo - Parte 02

20. A agonia de Jesus na Cruz

21. A Unção Com óleo, hoje

22. A Terra que estava sem forma e vazia

23. A Soberania de Deus e Seus Eleitos

24. A  Soberania de Deus e os porqês sem respostas

25. A mente de Cristo em Nós

26. Estudos de Hebreus 6.4-8

27. Fé Como Um Grão de Mostarda

28. Mulher Vivendo o Fruto o Espírito

29. O Consolo de Deus na Hora do Luto

30. O Fruto do Espírito Santo e o Caráter Cristão

31. O homem foi criado para viver prazer profundo

32. O Padrão Bíblico de Avivamento

33. O Perdão dos Pecados

34. O que Paulo está falando em Romanos 3.1-8?

35. O Salvo nunca será Desqualificado

36. Os deuses Estranhos da Ciência Moderna

37. Por que não há mais apóstolos hoje?

38. Precisamos mais do conhecimento do Senhor

39. Quando tudo na vida se trava

40. Verdadeiramente Livres para viverem

41. Todo sucesso na vida cristã começa e depende do Espírito Santo

42. O Único Mandamento para nós, Hoje

43. O Jejum é para os nossos dias?

45. Seu cérebro tem um botão “delete” capaz de apagar memórias e pensamentos indesejáveis e aqui está como usá-lo >>>Baixar

46. O que é a verdade?

47.Tudo Sobre Jesus