⇒  See the language on the left-hand flag ⇐

Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Translate to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese

ONLINE
2






E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará

“E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará"

 

Há muitas coisas das quais devemos ser libertos, mas de que libertação Jesus está falando?

Por muitos anos entendi isso libertação do pecado, do diabo, da escravidão humana ou de alguma enfermidade. A palavra libertação ou liberdade sugere também uma escravidão. Se alguém precisa de libertação é porque está em alguma escravidão. Mas de qual escravidão Jesus está falando?

Todo homem que nasceu neste mundo, com exceção de Jesus, nasceu escravo. E se toda pessoa nasce escrava de coisa, isso significa que ela precisa ser liberta, para viver uma vida plena como Jesus disse em Jo 10.10.  

Mas não há muito mistério nisso, não

Vamos analisar, por onde começa essa libertação? A causa da libertação pode ser chamada de: salvação, novo nascimento. Salvação e novo nascimento são sinônimos. Não há salvação sem novo nascimento e vice versa. Esses termos são os mais comuns entre os cristãos, mas há outros considerados mais universais. Por exemplo, iluminação, reconexão, despertar ressuscitar.

Iluminação, porque escravidão é o mesmo que treva. Reconexão, porque escravidão é o mesmo que distanciamento ou desconexão de Deus. E despertar, porque a escravidão é o mesmo que sono. Ressuscitar, porque escravidão é o mesmo que morte. Paulo disse: “Pelo que diz: desperta, ó tu que dormes, levanta-te de entre os mortos, e Cristo te iluminará” (Ef 5.14). Com este versículo fica entendido que esse é o sono da morte espiritual.

Onde está verdade que liberta e como nos libertar?

Vamos responder primeiro a primeira parte dessa pergunta. A verdade que liberta está dentro de cada um, mesmo daquele que nunca se ligou pra Deus, ou mesmo do pior homem que tenha vivido na terra. Jesus disse: “O reino de Deus está dentro de vós” (Lc 17.21). Essas palavras foram ditas não a cristãos consagrados e sim para os fariseus, o seguimento religioso mais hipócrita da época; mas mesmo assim Jesus disse: “O reino de Deus está dentro de vós”. Isso deixa bem claro que independentemente da pessoa ter alguma experiência com Deus ou não, o reino de Deus está dentro dela. A posição dela sobre isso, se ela vai ativá-lo ou não, é outra história. Mas aí está verdade que liberta. Ela precisa alinhar-se com Espírito Santo, que habita no espírito dela. A verdade que liberta está dentro de cada pessoa. Ela só precisa ter consciência disso e viver de acordo com ela. 

Cremos que é na dimensão espiritual do homem que está esta verdade, esse reino de Deus. Nessas palavras de Jesus está a verdade que liberta, cabe ao homem se valer delas ou não. Se o homem tem a predisposição para essa verdade ele vai procurar um meio para conhecê-la. E o homem só pode descobrir essa verdade dentro dele, procurando pelo autoconhecimento. Ninguém pode conhecer verdadeiramente o reino de Deus a não ser através do autoconhecimento, pois o reino está dentro dele! Ele não vai achá-lo em outro lugar! Essa é a única maneira segura para se conhecer a verdade. Quando buscamos conhecer a verdade por leituras de livros, sejam eles quais forem, caminhamos para confusão. Toda escrita está sujeita a manipulação do homem. Mas quando procuramos conhecer a verdade pelo nosso íntimo (espírito), a mesma nos é revelado de uma forma cristalina, sem margem de erro ou dúvida. Nos livros só encontramos orientação para conhecermos a verdade no nosso interior. A Busca, no entanto, é um particular de cada um; depende do esforço pessoal de cada.

Cremos que quando temos consciência desta verdade dentro de nós,  ela se tornará o nosso verdadeiro ser, sem conhecimento de nascimento ou de morte, juventude ou velhice, saúde ou doença — apenas a eternidade do ser harmônico. Esta verdade desfaz todas as ilusões dos sentidos, e revela a infinita harmonia do nosso ser; desfaz a mortalidade e revela nossa imortalidade. Devemos nos livrar de qualquer coisa, em nossos pensamentos, que não seja a divina Presença, o Eu Real (o espírito), para podermos beber a pura água da Vida e comermos o pão espiritual da Verdade.

 Temos de livrar o nosso coração dos erros do nosso eu, da obstinação, dos falsos desejos, da ambição e da ganância para refletir a luz da Verdade, como um diamante perfeito reflete sua própria luz interior.

Todos os acontecimentos do nosso dia-a-dia nos oferecem novas oportunidades de usarmos nossa compreensão espiritual, e cada uso dessas faculdades espirituais resulta em maior percepção espiritual que, por sua vez, nos revela sempre mais e mais da luz da Verdade.

Cremos que quando reinterpretamos as aparências e os fatos da vida diária nos termos da nova língua, a língua do espírito,  a consciência sofrerá uma expansão contínua, até que a tradução ocorra automaticamente, sem a necessidade de se pensar.

 Isto tornar-se-á um estado habitual de consciência, uma percepção constante da Verdade. Só desse modo poderemos ver nossa vida se desdobrar com harmonia a partir do centro do nosso ser, sem que para isto precisemos conduzir qualquer pensamento. Nossa vida, em vez de ser uma sequência de "demonstrações", tornar-se-á o feliz, harmonioso e natural desdobramento do bem. No lugar dos contínuos esforços para atrair o bem, vê-lo-emos emanar visivelmente a partir das profundezas do nosso próprio ser sem esforço consciente de nossa parte, quer físico quer mental. Não mais dependeremos de pessoas ou circunstâncias, nem mesmo do nosso esforço pessoal. A iluminação espiritual nos permite abandonar os esforços pessoais e confiar cada vez mais na Divindade, em Deus, que se revela e desdobra como cada um de nós. O esforço só existe até a Iluminação, a partir daí, ele não é mais necessário.

Jesus disse ao Nicodemos que quem não nascer novamente não pode entrar no reino de Deus; no versículo acima ele disse que o reino de Deus está dentro de cada um. Nesse reino do qual Jesus falou está a verdade que liberta. Ele disse também que o seu reino não era deste mundo, isso significa que há uma dimensão dentro de nós que não é deste mundo; essa é a dimensão espiritual e é nela que esta verdade precisa ser descoberta; é nela que Deus habita.

Só acessamos este reino para termos consciência da verdade, quando o nosso eu (=ego) é eliminado. E esse “eu” é eliminado quando nascemos de novo; quando há em nós uma plena renúncia. Não entendo o novo nascimento como se ensina na totalidade das igrejas. Dizem-se que alguém nasce de novo, quando aceita Jesus, mas continua com o potencial para fazer as mesmas coisas que fazia antes. O novo nascimento acontece, na verdade, quando o “eu” é eliminado totalmente, morto. Aí, então se morre para o mundo, para o “eu” e renasce para Deus e seu reino. Não é possível viver para Deus e para o “eu” ao mesmo tempo. É simples assim. Ou você vive para o “eu” ou vive para Deus. Quando o “eu” é eliminado, a pessoa deixa de ter desejo em relação a esse mundo e suas coisas “prazerosas” sejam elas quais forem. Deixa de desejar até mesmo as coisas legitimamente boas. O prazer dela está somente em Deus e seu reino.

Jesus disse: “Entrai pela porta estreita (larga é a porta, e espaçoso, o caminho que conduz para a perdição, e são muitos os que entram por ela), porque estreita é a porta, e apertado, o caminho que conduz para a vida, e são poucos os que acertam com ela”. E quem não toma a sua cruz e vem após mim não é digno de mim Isso tem a ver com renúncia plena. Então, convocando a multidão e juntamente os seus discípulos, disse-lhes: Se alguém quer vir após mim, a si mesmo se negue, tome a sua cruz e siga-me. Quem quiser, pois, salvar a sua vida perdê-la-á; e quem perder a vida por causa de mim e do evangelho salvá-la-á.  Que aproveita ao homem ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma? Que daria um homem em troca de sua alma? “Em verdade, em verdade vos digo: se o grão de trigo, caindo na terra, não morrer, fica ele só; mas, se morrer, produz muito fruto” (Mt 7.13,14; 10.38; Mc 8.34-37; Jo 12.24). Tudo isso que Jesus disse acima tem a ver com a plena renúncia do “eu”.

Quem passa pelo novo nascimento é uma nova criatura e as coisas velhas têm que ter ficado para trás. Se não ficou, então não é uma nova criatura e se não é uma nova criatura, então, certamente, não nasceu de novo, e se não nasceu de novo, não está liberto, e se não está liberto é porque não conhece a verdade. É impossível conhecer a verdade e não ser liberto.

Veja mais esta pagina aqui e os links associados a ela.

“Eu realmente só amo a Deus, na proporção em que amo a pessoa que menos amo” (Dorothy Day) 

Pr Aramisio Borges 

Natural de Goiânia, Go. Mora em SP desde 1983, servo de Deus a serviço de sua obra, Pastor há mais de 35 anos, teólogo, professor de Teologia e psicólogo; é responsável pela  MCDI - Ministério Cristão de Discipulado e Integração e pelo Instituto Exousia. Procura amar a Deus acima de tudo e ao próximo como a si mesmo, ama a família, a obra de Deus, seus amigos, a vida!  Na medida do possível procura ser amigo de todos e na mesma medida, procura ter paz com todos os homens.  Procurando sempre resolver todas as pendências. Tem procurado estar de bem com Deus, consigo mesmo e com o próximo. Tem um grande interesse pelo bem-estar do ser humano, principalmente no que se refere ao seu relacionamento com o Criador. Não é perfeccionista, mas gosta do melhor possível. Não é dogmático, mas gosta de ter uma posição definida em relação aos temas e doutrinas da Bíblia. Não chegou ainda, aonde quer, mas sebe onde deve chegar e esforça-se para isso. Gosta de se relacionar com o ser humano, procurando sempre o melhor nas pessoas, mesmo que possa se surpreender com pior. Sabe que toda pessoa rotulada como ruim tem um lado positivo e toda considerada boa, tem um, pelo ao menos um, aspecto negativo. Assim é com todos. Considera o conhecimento e o envolvimento com a Soberana Graça de Deus como imprescindível para o cristão e entende que, para viver nessa plena graça precisa, antes de tudo, viver no pleno mover do Espirito Santo. E sem essa Graça ninguém seria salvo, pois foi nessa base da graça que Deus, soberanamente, nos elegeu em Cristo antes da fundação do mundo. 

Devocional Diário

NOSSOS ARTIGOS

Iluminação, Comunhão e Unidade

 Conheça Um Pouco Mais Da Graça De Deus

Desventurado Homem que sou!

Tudo Sobre Nosso Pleno e Perfeito Perdão

Aprenda viver bem com Deus e com seus impulsos sexuais

O que é a Graça de Deus?

O que significa a Graça de Deus?

O Evangelho da Graça de Deus

O Significado de "Fim da Lei" em Romanos 10.4

A Maravilhosa Graça de Deus

Em que dia da semana Jesus morreu?

Ef 5.18-21

Duas formas pelas quais poderíamos ser justificados

Definição do Amor

 - Como Você Define o Amor?

 - Uma abordagem diferente do amor

Coisas Oferecidas em Sacrifícios aos Ídolos

Cinco Votos para Obter Poder Espiritual

Cientista prova a Existência de Deus

Batismo e Plenitude do Espírito Santo - Parte  01

O Batismo e a Plenitude do Espírito santo - Parte 02

A agonia de Jesus na Cruz

A Unção Com óleo, hoje

A Terra que estava sem forma e vazia

A Soberania de Deus e Seus Eleitos

A  Soberania de Deus e os porqês sem respostas

A mente de Cristo em Nós

Estudos de Hebreus 6.4-8

Fé Como Um Grão de Mostarda

Mulher Vivendo o Fruto o Espírito

O Consolo de Deus na Hora do Luto

O Fruto do Espírito Santo e o Caráter Cristão

O homem foi criado para viver prazer profundo

O Padrão Bíblico de Avivamento

O Perdão dos Pecados

O que Paulo está falando em Romanos 3.1-8?

O Salvo nunca será Desqualificado

Os deuses Estranhos da Ciência Moderna

Por que não há mais apóstolos hoje?

Precisamos mais do conhecimento do Senhor

Quando tudo na vida se trava

Verdadeiramente Livres para viverem

Todo sucesso na vida cristã começa e depende do Espírito Santo

 O Único Mandamento para nós, Hoje

O Jejum é para os nossos dias?

Seu cérebro tem um botão “delete” capaz de apagar memórias e pensamentos indesejáveis e aqui está como usá-lo >>>Baixar

O que é a verdade?

Tudo Sobre Jesus